Projeto de Ressocialização: Fábrica de Artefatos de Cimento e Biblioteca no Presídio de Congonhas

Projeto de Ressocialização: Fábrica de Artefatos de Cimento e Biblioteca no Presídio de Congonhas

Spread the love

Em uma iniciativa pioneira, a Prefeitura de Congonhas firmou, em 2022, um convênio com a Polícia Militar por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais. O objetivo era promover a ressocialização, a humanização e a Justiça Social no sistema prisional. Como parte desse acordo, foram instaladas uma fábrica de artefatos de cimento e uma biblioteca dentro do presídio local.

Os projetos têm como meta primordial a reeducação dos detentos, sua qualificação para o mercado de trabalho e a redução das penas. A fábrica, dotada de capacidade para produzir cerca de 1200 blocos de cimento diariamente, adota padrões técnicos que garantem a qualidade do produto, além de minimizar os desperdícios. O primeiro lote de blocos produzidos foi doado para a APAE de Congonhas, que utilizou o material para pavimentar seu pátio interno.

Segundo Thatiana Neiva, Diretora da Unidade Prisional, o presídio de Congonhas é o único em Minas Gerais a oferecer cinco modalidades de redução de pena. “Nós temos a remissão por leitura em parceria com o IFMG, por música em parceria com a prefeitura; a fábrica de blocos, o trabalho interno e aguardamos a determinação estadual para iniciar as aulas escolares. Isso é inovador”, comentou.

Essas iniciativas demonstram um compromisso significativo com a reinserção social dos detentos, fornecendo-lhes oportunidades reais de transformação e reinserção na sociedade. A parceria entre diferentes esferas do governo e instituições locais é essencial para promover uma abordagem holística à questão da criminalidade e punição, visando não apenas o cumprimento de penas, mas também a reconstrução de vidas.


Spread the love

Deixe um comentário