Obras de esgotamento sanitário avançam em Congonhas

Obras de esgotamento sanitário avançam em Congonhas

A Copasa implanta em Congonhas o sistema de esgotamento sanitário. Na primeira etapa das obras, a companhia instala interceptores, redes coletoras e ligações prediais – um investimento que soma mais de R$ 10 milhões. No total serão investidos mais de R$ 40 milhões e a previsão é de que a segunda etapa da intervenção aconteça ainda neste ano.

Atualmente, os interceptores são instalados nos bairros Cristo Rei e Residencial Gualter Monteiro, com previsão de término no mês de julho deste ano. Essa etapa prevê ainda a implantação de 1.500 ligações prediais, mais de 1.700 metros de redes coletoras, além de 13 interceptores que possibilitarão a coleta e transporte do esgoto de toda a cidade.

Já a segunda etapa prevê investimento de mais de R$30 milhões e a implantação da Estação de Tratamento de Esgotamento (ETE) com capacidade de tratar 165 litros de efluentes por segundo. Além disso, serão construídos mais de 5 mil metros de linhas de recalque e 12 estações elevatórias de esgoto.

O Superintendente da Unidade de Negócio Centro, João Martins, reforça que “as obras em execução representam um importante marco na cidade de Congonhas, que será dotada de um completo sistema de esgotamento sanitário, incluindo o tratamento, o que representa um avanço significativo nos indicadores de qualidade de vida e saúde da população”.

Benefícios do tratamento de esgoto

O tratamento de esgoto proporciona benefícios sociais, econômicos e melhoria das condições de saúde da população. Entre outras vantagens, o sistema de esgotamento sanitário habilita os municípios a receber o ICMS Ecológico, como forma de incentivo para criação de mais áreas de preservação ambiental ou para melhoria das condições dos atuais espaços existentes.

Além disso, a destinação adequada do esgoto evita propagação de doenças de veiculação hídrica; melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e proporciona mudanças positivas nos aspectos urbanísticos, com a consequentemente valorização imobiliária e o crescimento socioeconômico da cidade e da região.

Texto e Fotos: Copasa

Deixe uma resposta