Mulher foge para BH após ter corpo queimado pelo companheiro e ficar presa em casa por 15 dias, em Conselheiro Lafaiete

Mulher foge para BH após ter corpo queimado pelo companheiro e ficar presa em casa por 15 dias, em Conselheiro Lafaiete

Uma mulher de 40 anos teve o corpo queimado e ficou por 15 dias em cárcere privado, pelo companheiro, em Conselheiro Lafaiete. Ela só conseguiu sair de casa depois que o homem deixou as chaves da residência para que ela supostamente recebesse um dinheiro. Ela fugiu para casa de uma irmã em Belo Horizonte e, agora, está internada em um hospital. 

Conforme apuração da Rádio Itatiaia, a mulher, teve o corpo queimado nas regiões do peito, ombro e braço direito há 15 dias. Durante todo esse período, o companheiro dela, responsável por queimá-la, a trancou na residência onde viviam. A vítima teria pedido ajuda para ser medicada por conta dos ferimentos, mas o homem não atendia.  

 Ela conseguiu fugir de casa até a residência de uma irmã e depois conseguiu pegar um ônibus para Belo Horizonte e da rodoviária já foi levada por familiares direto ao Hospital João XXIII. A reportagem da Itatiaia teve acesso a uma foto dos ferimentos e a cena é impressionante. Uma das irmãs dessa vítima que não será identificada conta que não imaginava a gravidade da situação.  

Na tarde da última sexta-feira, dia 25, o homem saiu e ela pediu para que ele deixasse a chave da residência, pois alguém iria levar lá um dinheiro para ela. Ela, então, conseguiu escapar e foi para casa de uma irmã, ainda em Conselheiro Lafaiete. No dia seguinte, ela embarcou para Belo Horizonte rumo a casa de uma outra irmã. “Ela chegou na rodoviária de BH toda machucada. Tive que levá-la direto para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, onde ela segue internada”, contou a irmã da vítima. 

Questionada sobre o comportamento do homem, a irmã da vítima disse que ele sempre foi agressivo. “Eles estavam juntos a 1 ano e sete meses. Ele sente prazer em embater e machucar, e depois sente prazer em ver o sofrimento. Meu sentimento é de revolta, né? Fico, também, com muita dó de ver a pessoa assim. E o pior é que a gente sabe que ele acredita na impunidade. Ele tem certeza que nem punido ele vai ser. Isso aqui é mais revoltante!”, desabafou. 

A irmã da vítima disse ainda que vai denunciar o agressor a polícia. “Vamos tentar correr atrás pra que não fique impune mais de uma vez, pois não foi a primeira vez que ele fez isso. Já tinha tido outras agressões, não tão graves como essa, mas a gente vai tentar correr atrás sim. A gente já começou fazendo boletim de ocorrência, aí me explicaram que agora a gente tem que ir na delegacia de mulher e apresentar o boletim de ocorrência e fazer lá a denúncia. Então vamos lá ver o que que isso vai dar”, finalizou.

Fonte: Rádio Itatiaia

Imagem meramente ilustrativa de agressão a mulheres

Deixe uma resposta