Infecção no ouvido – Mito e tratamento
A otorrinolaringologista da Usisaúde - Gláucia Maria Vasconcelos Severiano

Infecção no ouvido – Mito e tratamento

infecção no ouvido ou até mesmo um efeito colateral do uso de medicamentos que podem ser tóxicos para o ouvido, como alguns antibióticos e anti-inflamatórios. “Por isso a importância de só usar remédios com prescrição médica”, alerta a otorrino.

Mito e tratamento

O zumbido não tem cura, mas é preciso desmistificar o senso comum de que o indivíduo com a condição precisa conviver com o problema. Segundo a otorrino, os tratamentos vão depender da origem do zumbido e podem melhorar a qualidade de vida.

“É preciso fazer um diagnóstico profundo do paciente, escutá-lo com calma. Entendê-lo na sua integralidade, de forma sistêmica, visto que o zumbido pode ter várias origens”. O tratamento pode ser desde o uso de medicamentos, passando por terapias ou até mesmo o uso de aparelho auditivo.

Quando o zumbido é causado por uma perda auditiva, o tratamento pode ser o uso de um aparelho. No entanto, se ele é causado, por exemplo, por estresse, ansiedade, é preciso tratar dessas causas com uma equipe multidisciplinar que envolve psicólogos. Em outros casos, o tratamento é realizado com medicamentos.

Outro tratamento que tem ajudado os pacientes é a terapia de habituação, realizada com um fonoaudiólogo. Ela consiste em uma forma de desviar a atenção do cérebro para não notar o zumbido e promover a habituação central ao zumbido.

Público-alvo

Segundo a pesquisa publicada na JAMA, a prevalência do zumbido não mostrou diferenças entre homens e mulheres. No entanto, o aumento foi associado ao avanço da idade: cerca de 24% dos idosos apresentaram sinais do problema.

Embora seja mais comum em pessoas idosas, o zumbido pode acontecer em qualquer idade. A médica alerta que, cada vez mais, o problema tem se apresentado em jovens e adolescentes. “O que temos percebido na prática é que o problema tem aumentado em jovens decorrentes de exposição prolongada a sons altos, principalmente devido ao excesso do uso de fones”, comenta.

Outro público que precisa de atenção são os de trabalhadores de profissões que demandam exposição prolongada a sons altos, como os da construção civil. “É indispensável que essas pessoas utilizem protetores de ouvido para evitar o zumbido ou a perda auditiva”, explica.

Divulgação Usisaúde

A otorrinolaringologista da Usisaúde – Gláucia Maria Vasconcelos Severiano

Deixe um comentário