Glaycon Franco destina recursos para melhoria do trabalho voltado aos autistas de Barbacena

Glaycon Franco destina recursos para melhoria do trabalho voltado aos autistas de Barbacena

Em mais uma ação voltada para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, o deputado estadual Glaycon Franco destinou R$ 50 mil em recursos para que a Associação de Mães e Amigos do Autista de Barbacena (AMAB) adquira um veículo de cinco lugares e, com isso, transporte com mais conforto, facilidade e segurança o público assistido e seus voluntários.

A entidade, que está em funcionamento há quatro anos no município mineiro, realiza programas de preparo, auxílio na adaptação, reabilitação e integração do autista na sociedade, no mercado de trabalho, na realização de práticas esportivas ou de lazer/recreação; bem como fornece orientação e apoio psicológico às famílias dos assistidos.

Na AMAB, são 125 associados (autistas com diagnóstico fechado), 80 a fechar diagnóstico e 60 atendimentos semanais. Quem afirma é a presidente da entidade, Shirley Gava. Para ela, o fato de o deputado estadual abraçar a causa e, mais que isso, destinar recursos para melhoria da infraestrutura é motivo de muita gratidão. “O que mais vemos são promessas. Desde a nossa criação, há quatro anos, o Glaycon Franco foi o primeiro parlamentar a olhar pela nossa causa”, afirmou a presidente.

Gava destaca que o veículo será um grande facilitador para execução das atividades diárias. “Somos uma associação sem fins lucrativos, vivemos de doações e muitas vezes não temos as condições necessárias para buscar tudo que nos é oferecido. O veículo ajudará bastante até para buscarmos as doações”, reiterou.

O autismo

Uma frase pequena resume bem o assunto: “o autismo é parte deste mundo, não um mundo a parte”. Porém, no Brasil, essa parte do mundo ainda vive às margens de políticas públicas. Motivo: nosso país não sabe quantas pessoas sofrem com esse este transtorno. Somente a partir do próximo Censo Demográfico, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (que acabou sendo adiado em virtude da pandemia), é que perguntas serão direcionadas no intuito de desvendar um provável quantitativo de autistas na população brasileira.

Para o deputado estadual Glaycon Franco a medida é um avanço, mesmo que tardio, uma vez que a necessidade é sempre imediata pela existência de casos. “Conviver com pessoas autistas requer, além de compreensão, naturalidade, respeito e amor. É um transtorno que não se descobre rapidamente, envolve atenção e requer tempo para que o diagnóstico seja feito. O trabalho de entidades como a AMA de Barbacena supre a ausência do Estado e é relevante que sejamos parceiros nesta causa. Até que o país mapeie os autistas, até que políticas públicas sejam definitivamente criadas em forma de Lei para essas pessoas, as associações e projetos privados tentam preencher essa lacuna, mas as dificuldades de quem lida com o autismo não esperam, são cotidianas”, pontuou.

Contribua

De acordo com a presidente da AMAB, a sociedade civil pode contribuir com doações. “Seja em espécie seja em alimentos, seremos muito gratos. A maioria dos nossos associados são pessoas de baixa renda. Alimentos como leite, macarrão, fubá, farofa, frutas claras são itens que compõem a dieta de um autista. Eles possuem muita seletividade alimentar e optam por comidas claras”, explicou.

Doações em Pix também podem ser realizadas para a AMAB. Para mais informações, entre em contato por meio do número (32) 9 8886-7383.

Deixe uma resposta