10 mitos e verdades sobre a amamentação do recém-nascido

10 mitos e verdades sobre a amamentação do recém-nascido

Sabemos que AMAmentação é um desafio para mamães principalmente de primeira viagem.

Muitas desistem devido palpites e informações erradas que ouvem,por isso é importante a orientação de profissões qualificados como pediatra (que defenda a amamentação), nutricionistas, enfermeiros,consultores da amamentação.Se informar é a garantia de uma AMAmentação de sucesso.

Rico em água, proteínas e sais minerais, o leite materno contém todos os nutrientes que o bebê precisa consumir. Por isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam a amamentação EXCLUSIVA para todas as crianças em seus primeiros seis meses de vida e a amamentação estendida até os 2 anos.

A prática da amamentação protege o bebê de inúmeras doenças e infecções como: infecções de ouvido, diarréia, pneumonia e outras doenças da infância. Ou seja, é um eficiente recurso para fortalecer o sistema imunológico além de economia. A mãe também leva vantagens se previne de diabetes, câncer de mama e ovário, doenças cardíacas e depressão pós-parto.

Apesar de ser um ato natural e essencial para o desenvolvimento do bebê, o aleitamento pode ser ensinado e aprendido,com determinação, paciência e amor. Afinal, ele envolve características próprias do recém-nascido, mas também condições físicas e emocionais da mãe.

Separei alguns mitos e verdades para esclarecer alguma dúvida sobre a amamentação:

1. O tipo de parto interfere na amamentação?

Mito. Tanto o parto normal quanto a cesariana não influenciam no processo de produção do leite da mãe, dizem que na cessaria o leite demora descer devido o efeito da anestesia.

2. O bebê já nasce com fome?

Mito. Ele nasce com uma reserva, chamada gordura marrom. Assim, o recém-nascido pode ficar um período sem se alimentar, mas isso depende da idade gestacional e do peso. O mais indicado é oferecer o seio à livre demanda e seguida após o parto.

3. A descida do leite acontece logo após o nascimento do bebê?

Mito. A descida do leite acontece aproximadamente 72 horas após o parto. Porém, a saída de colostro acontece logo após, um leite importantíssimo repleto de substânciasque favorecem sua defesa e garante a imunidade do recém nascido contra infecções, considerado a primeira vacina.

4. A alimentação da mãe reflete no leite?

Verdade. A mãe precisa manter uma alimentação saudável e equilibrada. Portanto, ela não deve ingerir bebidas alcoólicas e nem exagerar no café e produtos com cafeina, corantes e alimentos tipo leite de vaca e derivados.

5. O silicone atrapalha?

Mito. O silicone(prótese mamaria) não interfere na produção de leite da mãe e na amamentação. Entretanto, caso a mãe possua, é indicado informar ao pediatra sobre a cirurgia, para um acompanhamento mais cuidadoso.

6. Há leite mais fraco ou forte?

Mito. Nenhum leite materno é fraco. Portanto, a qualidade do leite de uma mulher desnutrida é tão boa quanto a de uma mulher nutrida. Assim, ambos são ricos em nutrientes necessários ao bebê.

7. O leite de vaca substitui o leite materno?

Mito. O leite materno é único. Portanto, seus benefícios, tais como o aumento da imunidade, também são exclusivos. Nenhum leite substitui o leite Materno.Caso o recém nascido precise utilizar fórmulas é necessário a orientação de um Nutricionista ou pediatra para ofertar a fórmula correta para cada idade.

8. Estresse e nervosismo podem atrapalhar a produção de leite?

Verdade. Situações de estresse ou tensão podem diminuir a quantidade de leite,porque a produção excessiva de adrenalina bloqueia a oxitocina, hormônio que influencia na amamentação.Por Isso o ambiente deve ser calmo e tranquilo,sem palpites.Respeitar o momento mãe e bebê é fundamental.

9. Bicos artificiais interferem no aleitamento?

Verdade. A mamadeira e a chupeta prejudicam a amamentação devido ao posicionamento da língua do bebê. Afinal, a mamadeira é mais fácil de sugar que no peito,o bebê já nasce com preguicinha e não quer ter o trabalho de sugar.O uso de bicos artificiais pode diminuir o estímulo da produção de leite, o não contato do bebê no peito,ou seja a sucção diminui a produção.

10.É preciso revezar os seios?

Verdade. Em algumas situações, o revezamento dos seios é benéfico. O bebê inicia a mamada em uma mama e termina a mamada na outra e depois inicia a próxima mamada na mama em termina a última mamada. Porém, isto não é uma verdade em todas as situações,mas é necessário fazer o revezamentos para não acumular leite e causar inflamações com mastite e febre.

Concluindo, para o aleitamento materno evoluir bem, é importante procurar ajuda do obstetra pediatra e Nutricionista, além dos inúmeros profissionais dessa área.Dessa forma, poderá ser definido um plano de ação e uma rede de apoio fazendo com que a AMAmentação flua com sucesso e a mãe se sinta confiante e confortável emocionalmente.

Por menos palpites e mais ajuda e conhecimentos.

“Não existe leite fraco, existem palpites chatos.”

A disposição

Ingrid Lopes Kelmer

Nutricionista

Pós graduada em saúde da mulher

Pós em Materno infantil

Nutrichef natural e funcional

Atendimento em domicílio

Presencial e online

Contato e agendamento 98746-1388

Deixe uma resposta