Você vive um relacionamento tóxico?

Você vive um relacionamento tóxico?

Queridos leitores, confesso que este foi um dos textos mais difíceis de escrever. Esperei por insights. Por momentos de inspiração. A ideia era e é alcançar o coração de todos vocês que por quaisquer motivos sofrem abusos físicos, emocionais, mentais e patrimoniais dos seus parceiros (as) . Espero que ao final da leitura, muitos reflitam e tomem a atitude mais sensata para a felicidade que merecem. Vamos lá?

Quando nos envolvemos com alguém, nem sempre nos damos conta de algumas características nocivas desta pessoa. No ato de se apaixonar tudo são flores. Mas a paixão é efêmera. Quando se finda, há dois caminhos: cada um seguir a sua vida ou consolidar o amor que pode ter nascido em meio a paixão avassaladora.

No entanto, esse discernimento muitas vezes não é feito, visto que, estando emocionalmente envolvidos ignoramos os sinais que são dados desde o início e seguimos a relação.

Sem a reciprocidade do amor que ofertamos, com o passar do tempo, vem à tona o quão o relacionamento pode ser tóxico.

O encantamento diminui e faz parecer que as lentes dos nossos óculos da vida começam a desembaraçar, nos damos conta que estamos em um relacionamento recheado de brigas, discussões e ao nosso lado está alguém que não nos completa, nem mesmo nos faz feliz.

Pelo contrário! Estamos ali literalmente dormindo com o inimigo.
Sendo altamente manipulados (as).
Aí está o que chamei de tóxico, esse desejo de controlar o (a) parceiro (a) unicamente pela satisfação de controlar, de tê-lo (a) apenas para si.

Lamentavelmente, mesmo diante de tudo isso, sentimos que há algo que nos prende a esta pessoa.

O comportamento tóxico e manipulador surge aos poucos, sutilmente, causando sofrimento e dor na vítima deste terror, sim um imenso terror psicológico.

Se você vive na sua relação acúmulo de chateações, críticas desmedidas
(já parou para refletir se as críticas que você recebe são para te diminuir? Se sim, não permita que isso aconteça!), energia negativa (desconforto ao lado do (a) parceiro (a), clima tenso, ansiedade ao ponto de não conseguir executar suas atividades diárias), você não é você mesmo (a) (você acaba não se reconhecendo como pessoa), crises de ciúme desmedidas, afastamento dos seus amigos, falta de visão de futuro e planejamento da relação, ausência de apoio nas suas escolhas de vida e metas, tudo é culpa sua (o/a parceiro (a) te convence que a raiz de todo mal é você), frequentes ameaças de término do relacionamento (jogo cruel! Sempre que o outro está insatisfeito ameaça romper o relacionamento. Isso pode acontecer principalmente se ele/ela sabe que você vai implorar para que não vá embora), é humilhado (a) e dependente física, emocional e financeiramente.
Ufa! Quantos sinais! Citei alguns, apenas.

Se você, caro leitor, se identificou com alguns dos sinais acima no seu relacionamento, talvez esteja na hora de deixar ir, seguir o seu caminho sem esta pessoa.

Um manipulador pode dizer coisas de forma que pareça genuína e honesta. Eles são exímios na arte de esconder a verdade.

Sabemos que não é tarefa simples se curar de uma relação tão tóxica.

O primeiro grande passo é a aceitação de que estamos vivenciando tal relação.

O segundo passo é buscar a ajuda de um psicólogo/psicoterapeuta para reconquistar sua liberdade, felicidade e autoestima por meio da terapia.

Espero do fundo do meu coração que tomem a decisão de se amarem acima de tudo e de todos! Só assim podemos ser amados e respeitados de forma verdadeira e saudável como merecemos.

Priorize-se!
Ame-se!
Valorize-se!

Essas atitudes nada têm a ver com egoísmo ou egocentrismo, pelo contrário é apenas a confirmação de que estamos cuidando e preservando a integridade da pessoa mais importante das nossas vidas: nós mesmos! Impossível amarmos alguém verdadeiramente se não praticamos o auto-amor.

Abraço fraterno!

Paz & Bem

Mil estrelas!

Lívia Baeta

Deixe um comentário