QUALQUER HORA

QUALQUER HORA

Escreva sobre o meu show. Ele vem disfarçado entre duas pedras e uma estrela cadente. Ele vem disfarçado de quem já escrevera antes toda essa história mentirosa. Uma mentira muito grande, que brinca entre as estrelas. E fica assim, uma confusão tamanha, entre a verdade e minha mentira. Faço palavras escondidas entre o cemitério mais perto e a lua no céu. Faço qualquer coisa, entre a verdade e a mentira. Já não sei qual delas vale a pena viver. É tudo um grande passamento. Quando você não sabe o que é a verdade. Pode ser felicidade ou tristeza. Mais tem que ser autêntica. Poeta só pode escrever aquilo que sente.

Silvio Lopes de Almeida Neto

Deixe uma resposta