Projeto que cria Semana da Diversidade em Lafaiete gera polêmica e é retirado de pauta

Projeto que cria Semana da Diversidade em Lafaiete gera polêmica e é retirado de pauta

Spread the love

O projeto de Lei número 088/2022 que institui a Semana da Diversidade em Lafaiete, de autoria da vereadora Damires Rinarlly (PV), seria votado durante a reunião de vereadores, realizada na segunda-feira, 24 de outubro, foi retirado de pauta, após polêmica manifestação de grupos conservadores, que compareceram à sede do legislativo lafaietense para protestar.

de acordo com as informações de Damires, o projeto visa à conscientização e o respeito ao próximo como outras leis de sua autoria aprovadas pela Câmara.

As manifestações começaram antes mesmo do início da reunião legislativa, quando um grupo de manifestantes rezou um terço, sendo que a vereadora chegou a participar da oração.

Durante o momento da “Palavra Franca”, vereadores falaram sobre o projeto. O vereador Pastor Angelino (PP) declarou ser a favor do que ele chama “família tradicional”. Declarou que “Quando nós defendemos família, princípios e valores não estamos defendendo algo que tiramos da história da carochinha, mas dos princípios bíblicos”.

A vereadora Damires Rinarlly tentou informar que projeto não se trata de levar ideologia de gênero para as escolas. Ela declarou que está sendo alvo de fake news, momento em que foi interrompida pela platéia, ao mencionar “falsos pastores”. Ela foi vaiada  por um grupo de pastores e de conservadores que estavam presentes, que além de vaiarem profiram xingamentos contra parlamentar.

Tendo em vista a situação conflitante o tumulto durante a reunião, o presidente da Câmara, vereador Oswaldo Barbosa (PV) suspendeu a sessão por cinco minutos. Com o retorno da reunião, a vereadora Damires voltou à tribuna, tentando novamente explicar o projeto, falando também sobre outro que entraria em pauta, que dispõe sobre a garantia de vagas em creche para filhos e filhas de mulheres vítimas de violência, sendo novamente interrompida várias vezes pela plateia.

Ela optou pela retirada do projeto, afirmando não aceitar mentiras dentro da casa legislativa. Falou sobre “esses projetos de conscientização, tolerância e respeito que muita gente não sabe o que é”.

Ao final da fala da vereadora, grupos contra o projeto vaiaram e outros a favor aplaudiram.

Texto – Sônia Santos


Spread the love

Deixe um comentário