Lafaiete realiza o 1º Fórum de Inclusão e Acessibilidade para encontrar soluções de adequação para prédios e espaços públicos e privados

Lafaiete realiza o 1º Fórum de Inclusão e Acessibilidade para encontrar soluções de adequação para prédios e espaços públicos e privados

Spread the love

Evento pretende promover a conscientização e engajamento de todos em relação à acessibilidade, informando sobre direitos e deveres previstos em lei, bem como sensibilizar para a importância de se construir um ambiente inclusivo e acolhedor para lafaietenses e visitantes.

A cidade de Conselheiro Lafaiete, como outros municípios de Minas e do Brasil, carecem de soluções de adequação à legislação vigente para atenderem às necessidades das pessoas com deficiência. Para estabelecer diálogo entre os atores relacionados ao tema, a Prefeitura Municipal realizará o 1º Fórum de Inclusão e Acessibilidade nos dia 15 e 16 de maio (quarta e quinta-feira), na UNIPAC-CL. O objetivo é reunir Município, Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), empresários, profissionais da construção civil e entidades para que se capacitem, discutam e encontrem, juntos, soluções de acessibilidade e inclusão, sob orientação de dois especialistas convidados. Como resultado prático previsto, o poder público local encontrará melhores condições para adequar suas edificações e espaços de convivência e circulação à lei, assim como cumprir melhor seu papel de fiscalizador. O meio empresarial igualmente poderá se beneficiar porque, com a obediência às normas técnicas, cada estabelecimento poderá obter seu alvará de funcionamento mais facilmente.
Realizado pela Prefeitura de Conselheiro Lafaiete e gerido pela Adesiap Minas, o 1º Fórum de Inclusão e Acessibilidade do município conta com o apoio Ministério Público (MPMG), Defensoria Pública (DPMG), Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/MG), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-MG). Além do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPD), Associação de Mães Unidas pela Luta da Deficiência (AMUPD-CL), Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC/Conselheiro Lafaiete), Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Serviços de Conselheiro Lafaiete (ACIAS), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Conselheiro Lafaiete e Sindicato do Comércio (Sindicomércio) de Conselheiro Lafaiete.
As discussões serão norteadas pelo conhecimento e vivência de dois especialistas no tema. Ângela Carneiro Cunha é arquiteta e urbanista pela Universidade Federal de Pernambuco, com curso de especialização realizado na Espanha. Ela é consultora em acessibilidade, responsável pela coordenação, planejamento e formação de equipe para elaboração de projetos arquitetônicos, urbanísticos e capacitação em acessibilidade. Já coordenou a área de acessibilidade da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República; trabalhou no Programa Minha Casa Minha Vida, na Copa do Mundo Fifa 2014, nas Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e no Plano de Metas da Universalização da Telefonia Fixa. Atou ainda junto ao Ministério das Cidades, Marinha, INMETRO, INFRAERO e ABNT, para o desenvolvimento conjunto de leis e normas voltadas à acessibilidade arquitetônica e urbanística no Brasil.
Já Eduardo Ronchetti é arquiteto por formação e empreendedor por vocação, especializado em Design de Interiores pelo Instituto Europeu Di Design e em Administração pela Fundação Getúlio Vargas. Ele integrou a Comissão de Acessibilidade de São Bernardo do Campo, atuando como revisor de obras particulares na Prefeitura local. Os 22 anos de experiência em acessibilidade são aplicados na elaboração de projetos, laudos e obras acessíveis. Ele já realizou mais de 680 projetos de acessibilidade e 110 cursos, capacitando mais de 4 mil profissionais pela Universidade Mackenzie.
Os objetivos específicos do fórum são: conscientizar empresários, agentes públicos, estudantes e profissionais de diversas áreas sobre a importância da acessibilidade; capacitar os participantes para a implementação de ajustes necessários em seus estabelecimentos e projetos, a fim de evitar possíveis penalidades decorrentes do descumprimento da legislação vigente; fornecer orientações específicas para alcançar o desenvolvimento urbano sustentável, por meio de palestras e workshops práticos; estimular o engajamento dos participantes na busca por soluções viáveis que conciliem as necessidades de acessibilidade com a viabilidade econômica dos negócios, especialmente para estabelecimentos mais antigos; proporcionar acesso às informações pertinentes sobre a legislação de acessibilidade e esclarecer dúvidas, visando à colaboração com o poder público na elaboração de planos para adequações necessárias; e promover a inclusão e acessibilidade arquitetônica como foco principal do evento. O último item prevê que se inclua programação voltada para outras áreas nas próximas edições, como acessibilidades comunicacional, metodológica, instrumental, programática, atitudinal e digital/web.
Apesar de realizado pela Prefeitura de Conselheiro Lafaiete, o Fórum possui abrangência regional, já que engenheiros, arquitetos, projetistas, empresários do ramo imobiliário e de venda de material de construção atuam nas demais cidades do Alto Paraopeba e de regiões próximas. Pelo mesmo motivo, serão convidados a participar do evento prefeitos e secretários de municípios vizinhos. A tendência é que outras cidades da região também realizem seus fóruns para provocarem a discussão em torno da acessibilidade e inclusão.

 

Serviço:
Inscreva-se no site oficial do evento: https://acessalafaiete.com.br/.
Inscrição gratuita com vagas limitadas.
Público-alvo: empresários de Conselheiro Lafaiete; estudantes de engenharia, direito, arquitetura e contabilidade; projetistas; arquitetos; engenheiros; contadores; e agentes públicos. Também estarão presentes membros das entidades representantes das pessoas com deficiência.

texto: Reverbera Comunicação


Spread the love

Deixe um comentário