“Eu não moro mais em mim”: Confira o artigo desta semana com a colaboradora Mary Luisa

“Eu não moro mais em mim”: Confira o artigo desta semana com a colaboradora Mary Luisa

Quando você não mora mais em você, as coisas mudam.Se você não toma posse de você, as pessoas fazem com você o que desejam.Delimitar o seu espaço e não abrir mão dos seus valores é o que o torna pessoa e não o deixa de ser respeitado pelos outros.

Ser pessoa é antes de qualquer coisa, tomar posse de você e dizer:Quem manda sou eu.O que desejo falar é que quando você sai de um relacionamento você fica igual a música da célebre cantora Adriana Calcanhoto: “Eu perco o chão/Eu não acho as palavras
Eu ando tão triste/Eu ando pela sala/Eu perco a hora
Eu chego no fim/Eu deixo a porta aberta/Eu não moro mais em mim…
A cantora deixa claro o que têm acontecido com muitos de nós. Quando você transgride na vida, você acaba se tornando modelo para outras pessoas tentarem superar muitas de suas mazelas. A cada dia, nós encontramos um novo modelo de pessoa para nos inspirarmos a mudar e evoluir como pessoa.

Quando você é machucado é difícil perdoar e esquecer. Algumas vezes, por não sermos donos de nós mesmos e o outro, que não é dono nem de si mesmo faz com que cometemos erros e acabamos não fazendo diferença na vida, não mudando a nós mesmos e recebemos marcas negativas, sofrimentos.

A incapacidade de delimitar o território estabelecendo o limite para o outro falando:NÃO EU NÃO ACEITO! Faz com que nós nos machuquemos e carreguemos isso para outros relacionamentos sejam amorosos ou não.Se você é pai ou mãe, eduque seus filhos para que os encorajem para que não acometam experiências ruins com o outro.No momento de infância é o momento de construção de caráter de um cidadão pai e mãe seja pilar para o seu filho, o ensine e o motive a acometer o que é certo.

Lidar com quem foi ferido não é para qualquer um.Tem dias que serão difíceis,e você que se tornou apoio vai querer fugir e não ouvir o outro.Tenha empatia.Pois, nós sempre estamos em recuperação e ter um amigo que nos lembre que somos pessoas e que somos capazes de podermos escolher como agora seguir o nosso caminho é algo que nos mantém vivo.

Não estranhe os grandes textos que poderá receber ou desabafos espontâneos, precisamos falar sempre.É muito complexo realizar intervenção em um relacionamento do outro. A culpa e o medo são os principais motivos para essa percepção distorcida da realidade para quem vive nesta prisão.

E se o reconhecimento da relação tóxica é difícil, a libertação dela torna-se quase impossível.Seja apoio.As cargas negativas e as depressões causadas pelo o outro são dependência de falta de capacidade de equacionar seu prejuízo de ficar com uma pessoa em uma relação doentia.


O amor é a investigação das possibilidades que o outro tem ,aquele que entra na sua vida para acrescentar na sua melhor parte tudo bem, saiba que antes isso também detém de confiança e vem com o tempo, sinto muito se é estranho para quem lê, mas existe feridas que ainda doem e não as desejo para ninguém e nem todo riso é real.Existe um mundo fora das redes que tem dias que eu não quero o encarar.E o que me dá força são aqueles amigos que eu ainda tento manter.


Aquele que se aproxima para privar o seu melhor que seja melhor que se afaste e tenha cuidado para o seu amor não se tornar um cativeiro.O amor é algo que não amarra.Não machuca.Quando você sai de uma situação de sequestro de si mesmo você se perde por alguns instantes,mas precisamos ter coragem de delimitar um território.

Concluo dizendo que:TEM GENTE QUE SOMA QUANDO SOME.E com o tempo a cicatriz está se fechando e a flor está desabrochando pois todo cuidado agora dado a ela é especial, ela tem espinhos não para ferir a sua beleza, vale o incomodo de cada espinho,e ela nunca florescerá da mesma forma, ela se tornou forte e sabe do seu valor.Não é para qualquer um.Ela aprender a resistir ao inverno e as chuvas de verão.
E se alguém realmente vier que antes tire as sandálias dos seus pés para entrar, pois, o meu coração é um solo sagrado.

Mary Luisa dos Santos Silva
Bacharel em Direito
Pós Graduada em Docência Juridica
Instagram: maryluisa.may
E-mail:mlsslafaiete@yahoo.com.br

Este post tem um comentário

  1. Jardel Correa

    Texto maravilho !!

Deixe uma resposta