Congonhas – ReConexão Africanidades ressalta a diversidade da cultura negra com muita música, oficinas e apresentações

Congonhas – ReConexão Africanidades ressalta a diversidade da cultura negra com muita música, oficinas e apresentações

Spread the love

Evento gratuito acontece de 29 de maio a 02 de junho, em Congonhas, e reúne nomes consagrados como Renegado, DJ Zeu, Adriana Araújo e artistas locais

O município de Congonhas será palco do ReConexão Africanidades 2024 4ª Edição que acontece de 29 de maio a 02 de junho, na Estação Cultural, com uma programação diversa e gratuita que exalta a cultura afro-brasileira. A proposta do evento é trazer uma reflexão permanente sobre os comportamentos e as narrativas atuais que alimentam o racismo no Brasil. Durante os cinco dias de evento, os participantes poderão assistir shows de artistas consagrados, além de terem a oportunidade de participar de oficinas de percussão e grafite.

Para a produtora cultural Regina Moura, o “ReConexão Africanidades”é uma proposta disruptiva e uma reflexão permanenteda sociedade e as suas diferentes nuancesa respeito do racismo. “Queremos ir além da Semana da Consciência Negra, temos como objetivo levantar pautas e sustentá-las cotidianamente, reorientando comportamentos, rompendo narrativas sociais. Precisamos RESPIRAR, e isso significa VIVER, quando somos livres para respirar, nossa arte ecoa”, ressalta.

O “ReConexão Africanidades 2024“4ª Edição enaltece a arte negra feita por artistas negros, um encontro com a ancestralidade da cultura afro-brasileira. O ReConexão é um espaço permanente de visibilidade e empoderamento social e contemplará várias ações que começam agora com esse evento em Congonhas eculmina na Semana da Consciência Negra, celebrada em novembro.

Na programação,estão artistas locais do município de Congonhas e artistas já consagrados,que dividem o palco trazendo uma miscigenação de ritmos: samba e o Rap, o congado e a capoeira, o Breaking (que agora está oficialmente nas Olimpíadas de Paris 2024), DJs e MCs, além do grafite e do teatro. A abertura desse grande evento ficará sob o comando dogrupo Katinguelê.

Também passam pelo palco nomes de peso erepresentatividadecomoAdriana Araújo, DJ Zeu e Renegado, além de Samba de Casa, Radicais do Samba, Cadência do Samba, Beisamba, Juntos e Misturados, Dadinho e Goducho. O Grupo Atrás do Pano de Nova Lima, conhecido pelos bonecos gigantes do artista Paulinho Polika, leva seu trabalho artístico Rua de Brincar. A Estação HIP HOP contará com um dia especial e terá uma batalha de rima, uma ação coletiva de grafitagem que irá reunir mais de 18 grafiteiros de BH e Congonhas, oficinas de dança e percussão. Toda a programação é gratuita e o evento espera receber um grande público de Congonhas e de cidades vizinhas.

O projetoReConexão Africanidadesfoi desenvolvido pela NoTom Produções Artísticas, dirigido pela produtora, socióloga e mestre em Ciências Sociais pela PUC/Minas, Regina Moura. Pesquisadora no campo das políticas públicas para cultura, iniciou sua carreira profissional na área em 2001. Na sua trajetória artistas e grupos reconhecidos na cena cultural, Mimulus Cia de Dança, Grupo de Dança Primeiro Ato da diretora Suely Machado, onde ficou por 11 anos, o músico Lula Ribeiro, Marcos Catarina, Cia Café com Dança, a artista plástica Ana Bouissou, o cineasta César Rafael, entre outros.

Regina celebra o primeiro projeto próprio ReConexão Africanidades 2024com a curadoria artística de Luiza Braz Batista, artista não-binarie interdisciplinar, trabalhando principalmente como coreógrafa, diretora, curadora e performer, atualmente desenvolve suas próprias obras na ponte entre Brasil e Alemanha.

A cidade de Congonhas será um espaço de visibilidade para a cultura negra, que coloca em voga uma reflexão que desconstrói narrativas excludentes e ressignifica a Semana da Consciência Negra, saindo deste lugar de um evento pontual, para ser vista como atitude cotidiana de defesa da vida, reparação histórica e mergulho na nossa ancestralidade afrodescendente.

O ReConexão Africanidades 2024 4ª Edição é realizado com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet com o Ministério da Cultura e a NoTom Produções Artísticas e tem patrocínio da CSN – Companhia Siderúrgica Nacional e apoio cultural da Prefeitura Municipal de Cultura e Conselho Municipal da Igualdade Racial.

CONHEÇA OS ARTISTAS PARTICIPANTES:

Katingulê

Neste ano de 2024, o grupo comemora 41 anos de estrada. Colecionador de sucessos, suas músicas embalaram muitas histórias de amor: “Um doce Sabor”, “Bem no Íntimo”, “Cilada”, “Corpo Lúcido”, “Só mesmo o teu amor”, são algumas das que ficaram eternizadas e estão no repertório até hoje. Juntos desde a primeira formação estão Udi, Téo e Mário.Em 2017, acolheram de braços abertos Gui Taliatti cantor, compositor e instrumentista. Depois de gravarem 2 DVDs e 12 CDs acumulam prêmios e os números são expressivos, aproximadamente 8 milhões de discos vendidos e pouco mais de 60 milhões de players e visualizações em todas as plataformas de Streaming.

Renegado

O cantor, compositor, produtor musical e ator mineiro, com base atual no Rio de Janeiro, nasceu em Belo Horizonte, na comunidade do Alto Vera Cruz. Dono de uma das mais importantes carreiras do segmento no Brasil, Renegado atingiu o sucesso já nos primeiros trabalhos, recebendo o prêmio de Artista Revelação por seu disco de estreia, “Do Oiapoque a Nova York” (2008). Durante a carreira, integrou o casting de importantes gravadoras, como o selo norte-americano RCRD LBL, a gravadora brasileira Som Livre e a gravadora independente Mousik. O rapper já formou parcerias com Diogo Nogueira, Samuel Rosa, Rogério Flausino, Bebel Gilberto. Com Anitta, gravou a música “Totalmente Demais”, tema de abertura da novela da Rede Globo homônima ao título da música. Outros feats de sucesso estão no último trabalho de Renegado, o disco 1221 (lê-se doze vinte um) que traz doze feats inéditos.

Adriana Araujo

Nascida na comunidade da Pedreira Prado Lopes, na região da Lagoinha, berço do samba de Belo Horizonte, Adriana Araújo se destaca como uma das grandes vozes do samba mineiro. Considerada um dos grandes talentos da atual geração, não apenas mantém viva a tradição do samba, mas também a reinventa, incorporando novas sonoridades e abordagens, sempre com respeito às suas raízes e à herança cultural afro-brasileira.Ao longo de sua carreira, já compartilhou o palco com renomados nomes do samba: Diogo Nogueira, Fabiana Coza, Arlindinho e Jorge Aragão. Em 2023, lançou o show “Adriana Araújo Canta Alcione”, uma homenagem à Marron, que será lançado em DVD em 2024.

DJ Zeu

Atraído pela ideologia e cultura do Hip Hop, Elizeu Bianco, DJ Zeu, chegou a frequentar as quadras da capital mineira, principalmente, a casa de Show Estúdio 94, enquanto dançarino. Em 2003 inicia oficialmente sua carreira como DJ e passa a se apresentar por todo território nacional. Em 2005,recebe o Prêmio Bambata de Hip Hop como o melhor DJ de Rap de MG. Em 2007, cria o “Classics Hip Hop” com o intuito de fomentar a cultura, a profissionalização dos trabalhadores dessa área e o empoderamento dos jovens negros e periféricos da cidade. Pela line do Classics Hip-hop já passaram nomes como Kl Jay, DJ Cia, Karol Conká, Criolo e tantos outros famosos no meio artístico nacional.

Grupo Atrás do Pano

O Grupo Atrás do Pano nasce nos idos dos anos oitenta, pela vontade dos artistas Paulinho Polika, Luiz Nacif e Sandra Braga de dar continuidade à experiência vivida com o mestre Álvaro Apocalypse, fundador do Grupo Giramundo. A estreia em Belo Horizonte foi com a montagem do espetáculo de bonecos “A Ópera do Bicão”, onde ainda figurava o teatro “amador” como modo possível de produção cênica. Na transição para os anos 1990, o grupo assume, com a chegada de Myriam Nacif e de Paulo Thielmann, uma nova formação e um novo direcionamento de trabalho.

BANDAS LOCAIS

Radicais do Samba

Radicais do Samba é um grupo de samba e pagode da cidade de Congonhas. Diferente dos outros grupos, é focado em tocar nas FM’s/ mídias televisivas com o objetivo de atender uma grande parcela do mercado corporativo e social. Oshow apresentado pelo grupo é totalmente adaptável a diversos eventos, desde a formação da banda, repertorio até o figurino. O grupo conta com estrutura própria de som e iluminação, e toca sucessos do samba e pagode dos anos 1990 aos anos 2000, além das músicas mais tocadas do momento.

Goducho

Nascido em Congonhas, Goducho traz sua paixão pelo samba desde criança. Fã do cantor Péricles, uma de suas referências musicais, o artista vem ganhando destaque por sua personalidade e energia nas apresentações que faz em diversas cidades de Minas.

Cadência do Samba

O grupo tem uma equipe jovem, dinâmica e atualizada com os hits de sucesso. Formado por quatro amigos da cidade de Congonhas, o Cadência tem como diferencial o fato de todos os componentes serem vocalistas. Jean, de 31 anos, ferroviário, toca banjo e Surdo. Ramon, mecânico de uma mineradora, é percussionista e atualmente é o vocalista. Dudu, funcionário de uma empresa de segurança é cavaquinista e percussionista. Ronaldo é responsável pela harmonia do grupo, seu instrumento é o Rebolo.

BeiSamba

O BeiSamba começou despretensioso há 22 anos com um grupo de amigos e parentes que se reuniam em aniversários para tocar sambas antigos e sambas de enredo. Foi em 2010 que surgiu a ideia de organizar um grupo de samba. Aos poucos, alguns instrumentos foram adicionados como o cavaquinho e começava a se estruturar, tocando em algumas festas. Em 2015, pela primeira vez, o BeiSamba subiu ao palco tocando para um público em espaço aberto.

Junto e Misturado

A banda Junto e Misturado nasceu em 2016, em Congonhas, quando sete amigos resolveram juntar seus talentos musicais. Desde 2019 se apresenta em variados eventos como Carnaval, Festival de Inverno, Consciência Negra, além de casa de shows e festas particulares. O repertório é diversificado com músicas nacionais. No currículo do grupo, participações em shows de bandas como Araketu, Terra Samba e Akatu.

Dadim Banda de Samba

O músico Dadim nasceu em Conselheiro Lafaiete, em 1995. Aos 11 anos, dava aulas no Proerd, programa da Polícia Militar de combate às drogas.  Vindo de uma família de músicos, aos 15 anos formou sua primeira banda de música a “Delirasamba”. Aos 21 anos, com o fim de sua banda, Dadim optou em seguir carreira solo e já fez participações com artistas nacionais como Akatu, Thiago Martins, Ferrugem e Dilsinho.

Dani Milena

Dani Milena é percussionista, doceira e escritora de contos. Autodidata, se apaixonou pela percussão quando criança ouvindo os vinis dos pais.Logo nova, foi incendiada de paixão pelas escolas de samba e blocos de Nova Lima – cidade de sua mãe – e bandas baianas como Timbalada, Ilê Aiye, Olodum. Dani é percussionista da experimentação. Seus primeiros instrumentos foram feitos de sucata e reciclagem. Com esses materiais ela construía chocalhos, pau de chuva e outros. Já tocou com nomes como Deyse Dittmar, Lívia Queiroz, Ventura Profana e nos grupos Samba da Meia Noite e PodeSerDesligado. Integra a peça “Se homens são feitos do barro somos feitos da lama”, ao lado de Juhlia Santos e Giovanna Heliodoro.

FICHA TÉCNICA:

 

Direção e Produção: Regina Moura (NoTom produções Artísticas)

Curadoria Artística: Luiza Braz Batista (Brasil / Alemanha)

Comunicação e Identidade visual: Reciclo Comunicação

Gestão de Redes e Tráfego: Laboratório Digital

Coordenação financeira: Maria Clara Moura

Assistente de produção: Carolina Moura

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DA 4ª EDIÇÃO RECONEXÃO AFRICANIDADES 2024

Dias 27/05 e 28/05

Oficinas de Dança de Rua com os professores Matheus e Márcio

Para mais informações e inscrições, acesse   https://www.instagram.com/reconexao.africanidades/#

Para a participação nas oficinas de Dança de Rua, os interessados também podem se inscrever presencialmente na Estação Cultural

  • 29/05 (Quarta-feira)

14h30 às 16h30 

Oficina de percussão com Dani Milena

Local: Estação Cultural (projeto Garoto Cidadão)

17h às 18h30 

Oficina de percussão com Dani Milena

Oficina de grafite com  Jô e Gustavo

 19h às 20h -Abertura oficial com a presença do secretário de cultura ou o prefeito e apresentação artística percussão e dança afro com Dani Milena e elenco

20h às 22h – Samba de Casa

22h às 00h – Katinguelê

 

  • 30/05 (Quinta-feira)

14h30 às 16h30

Oficina de Congado com o Capitão Vando

Oficina de Grafite com o Jô e Gustavo

19h às 21h – Banda Beisamba

21h às 23h – Banda Goducho

 

  • 31/05 (Sexta-feira)

14h às 17h30-Grupo Atrás do Pano de Belo Horizonte-Rua Brincar

Local: Estação Cultural/Tenda grande

19h30 às 21h30- Banda Radicais do Samba

22h às 00h-Apresentação da cantora Adriana Araújo

  • 01/06 (Sábado)

14:30h às 16:30h

Oficina de Grafite com os Professores: Jô e Gustavo

19h às 20h30- Banda Junto e Misturado

20h30 às 22h- Banda Cadência do Samba

22h às 00h30- Banda Dadim

 

  •  02/06 – (domingo)-Encerramento

09h às 11h-Cortejo de com as guardas de congado até a Estação e finalizando o percurso com uma roda de capoeira

14h às 15h:

Aulão de dança de rua (Márcio e Mateus) no palco

Oficina de grafite com o João Goma ao ar livre

15h às 16h30 (em paralelo)

Intervenção artística de grafite no casarão: Coordenação Jô e Gustavo

15h às 16h

Intervenção com DJ Zeu com roda de conversa mediada pela Carolina Moura

16h30 às 18h

DJ Burê – Estação HIP HOP Batalha de rima (Mc’s), premiação do 1º ao 3º lugar:

1º lugar: R$ 200,00

2º lugar: R$ 150,00

3º lugar: R$ 100,00

18h às 18h30: Premiação e entrega dos certificados da Estação HIP HOP

Encerramento com a apresentação de dança de Rômulo e Thaís Martins

18h30 às 21h30

DJ Zeu e Renegado dividem o palco com a participação especial de Mc Vell de Congonhas


Spread the love

Deixe um comentário