A Páscoa na visão do Espiritismo

A Páscoa na visão do Espiritismo

A páscoa genuína é uma celebração judaica onde o povo hebreu relembra a libertação da escravidão do Egito. Para relembrarem isso, eles convivem em seus lares com um carneirinho e, após 7 dias sendo tratado como um animalzinho de estimação, com todo carinho e cuidado ele é sacrificado. É uma experiência no campo dos sentimentos, das emoções.

O Espiritismo não possui rituais; mas nesta semana relembra o sacrifício de Jesus, que conviveu 3 anos com os discípulos, cura doentes, criando vínculos emocionais, dentro de uma experiência do extremo amor, e diz a eles ao final dos 3 anos,  que vai deixá-los.

Mas que apesar da traição de Judas, da negação de Pedro, Ele continuaria os amando da mesma forma. E apesar da aparentemente morte física, Ele estaria sempre no meio deles. E quando eles se sentissem sozinhos, com saudades da sua amizade, que se reunissem e comemorassem a Páscoa em nome do seu imenso amor. E se lembrassem da mensagem de que Jesus foi portador: a libertação do homem da matéria que escraviza e  aprisiona. É o amor que liberta.  A Páscoa é a maior experiência que relembra o imenso amor de Deus, que envia Jesus para ser imolado, como um carneirinho, para mostrar o quão passageira é a matéria se tivermos visão para a verdadeira vida.

Ana Jaqueline – Centro Espírita Bezerra de Menezes

Deixe um comentário