E após um ano tecido a muita tristeza, tragédias, perdas, privações, enfim é chegado o Natal. Permitam-me, caros leitores, evidenciar o lado positivo deste ano fatídico: a maioria foi forçada a desacelerar, a olhar para o outro com mais amor e empatia, a desenvolver a resiliência e o despertar para a finitude desta vida com mais  sabedoria, aceitação, gratidão, união, amor e simplicidade.

Neste cenário que assola o mundo,

o Natal será “seguramente” vivenciado de forma diferente por todos, acentuando-se, provavelmente, estas dicotomias: se para uns será uma época de esperança, de ainda mais união e de solidariedade ; para outros será vivida com amargura, tristeza e preocupação.

A sociedade está economicamente afetada, muitos estão longe dos entes queridos (para se protegerem), nosso psicólogico está desgastado, há muitas incertezas, medos e restrições. Não há dúvidas de que tudo isso poderá ensombrar este Natal. Sejamos positivos, mas realistas!

Um Natal em família é o que desejamos neste momento. Porém, a pandemia da Covid19 deixará muitas famílias sem a tradicional reunião que sempre conta com aqueles que já moram em um lugar distante.

O Universo sempre trabalhando para que valorizemos mais os momentos “simples” e deveras mais preciosos das nossas vidas. Como ele faz isso?

Nos privando de vivencia-los.

O Natal sempre foi, pessoalmente, um momento de reflexões profundas. O Natal transforma, nos faz refletir sobre o que podemos fazer de melhor para nós e nossos irmãos. A alegria do Natal é o combustível para que tenhamos um Novo Ano mais motivados e empenhados na nossa missão e evolução.

Ainda  que as confraternizações com os colegas e amigos, assim como as múltiplas festividades com a família  não possam acontecer, fica uma pergunta a todos nós: Não seria talvez a altura de repensarmos no verdadeiro significado do Natal?  A data que marca o nascimento de Jesus Cristo (independente de crenças) me remete a tudo que Ele nos ensinou desde sempre: a solidariedade, a entreajuda, o perdão, o amor e o altruísmo, trazendo à flor da pele a sensibilidade e a afetividade sincera das pessoas. Como estamos pontuando nesses quesitos?

Convido você, amig@ leitor, a observar e a valorizar  os gestos mais simples. Que neste Natal tão atípico, possamos oferecer afeto, cuidado, amor, reciprocidade e não somente presentes. Valorizemos o que é simples, afinal o essencial é simples.

Estamos conectados em pensamento!

Vamos superar tudo isso!

Sem quaisquer tipos de ironia, desejo que este seja o melhor Natal das nossas vidas. O Natal em essência. O Natal cujas mensagens saiam em silêncio dos nossos corações e com ternura aqueçam os corações daqueles que tanto amamos e nos acompanham nesta incrível jornada de evolução chamada VIDA.

Então, é NATAL! A ESPERANÇA de dias melhores continua, afinal “muitos e muitos pulsos ainda pulsam”, logo podemos e devemos lutar.

Gratidão imensa a todos os leitores!

Gratidão a toda a equipe do Minas Informa pela confiança e carinho!

Um feliz, saudável, seguro, transformador e reflexivo NATAL a todos!

Até breve! Até muito breve!

Paz & Bem!

Lívia Baeta

Deixe um comentário